Despacho De Macumba

Zé Tapera e Teodoro

Compositor: Marcos Atibaia / Teodoro

Sexta-feira à meia-noite
Eu já estava deitado
Quando escutei um barulho
Levantei desconfiado

Era um velho macumbeiro
Das bandas da Água Rasa
Que veio fazer despacho
No portão da minha casa

De dentro eu assistia
Pela fresta da vidraça
Tinha quatro vela acesa
E um litro de cachaça

Tinha uma galinha preta
E um sapo morto no chão
Deste jeito ele falava
Ajoelhado em meu portão

declamado:
("As corrente indiana fincam no espaço
Os corredô das caatinga do norte
Há de baixá no terreiro desta casa
Pra enrroletrá a vida deste cabra
Nesta casa todas as coisas tem que ir por água abaixo
A paz há de se transformá em desespero
O amor há de se transformá em ódio
O sorriso há de se transformá em lágrima
E a felicidade há de transformá em eterna separação")

Eu dei um pulo pra fora
Dei um grito no terreiro
Quando cheguei no portão
Não vi mais o macumbeiro

Das velas fiz uma cruz
Queimei em cima do sapo
Mandei a pinga pra goela
E a galinha foi pro papo

Esse velho macumbeiro
De tudo se arrependeu
O mal que ele me fez
Ele mesmo recebeu

Meu avô sempre dizia
Um ditado verdadeiro
Que às vezes o feitiço
Vira contra o feiticeiro
Que às vezes o feitiço
Vira contra o feiticeiro

©2003- 2018 lyrics.com.br · Aviso Legal · Política de Privacidade · Fale Conosco desenvolvido por Studio Sol Comunicação Digital